Manutenção preventiva para caminhão: Como fazer

Sabe qual o melhor remédio que existe? A precaução. Esse lema pode ser aplicado em praticamente todas as situações da vida, inclusive quando estamos falando de caminhões. Isso porque para evitar maiores dores de cabeça com o seu pesado, é indicado ter um pouco de cautela. Nesse sentido, uma manutenção preventiva para caminhão será sempre bem-vinda.

O constante uso de um equipamento, como um caminhão, deixa os seus sistemas mais propensos à falhas, prejudicando o seu rendimento e, em casos mais graves, fazendo com que seja necessário para a utilização. Diante desse cenário, como não é possível conter a ação do tempo e uso, uma boa manutenção preventiva consegue controlar os seus efeitos.

Por isso, quer saber o que você deve ficar atento durante essa manutenção para garantir que o seu caminhão esteja sempre pronto para cair na estrada? Então, é só continuar com a leitura desse artigo até o seu final. Além disso, você também vai conhecer conhecer os tipos e diferenças entre as manutenções que existem.  

Tipos de manutenção 

Tipos de manutenção

Antes de saber de fato o que fazer para garantir uma boa manutenção preventiva para caminhão, entenda de fato o que significa esse termo e os outros ligados a manutenção:

Manutenção Preventiva

Manutenção Preventiva

Como o próprio nome já indica, a manutenção preventiva é aquela que ocorre antes de que algum problema possa acontecer. Ou seja, seguindo uma rigorosa rotina de avaliação, verificação e previsão, é possível detectar componentes que podem dar problema futuramente e trocá-los, por exemplo. Com isso, se garante que um problema não acabe gerando outro e piore a situação, sendo o método de manutenção mais barato.   

Manutenção Corretiva

Manutenção Corretiva

Talvez esse seja o método de manutenção mais conhecido pelo mundo afora. A manutenção corretiva se baseia basicamente na ideia de só realizar alguma troca de componente ou reparo quando realmente surgir algum problema, como um carburador furado, por exemplo. Esse tipo de cenário acaba elevando os custos da manutenção, uma vez que as demandas precisam ser resolvidas de última hora.  

Manutenção Preditiva

Manutenção Preditiva

Esse tipo de manutenção já se aproveita dos recursos mais modernos que existem no mercado, sendo um pouco mais oneroso. Isso porque na manutenção preditiva são utilizados aparelhos de medição específicos que detectam o desenvolvimento de algum problema e indicam quando irá ocorrer uma falha. Muitas vezes, esse indicadores só conseguem ser notados através desses equipamentos. 

7 pontos para levar em conta na manutenção preventiva para caminhão

7 pontos para levar em conta na manutenção preventiva para caminhão

Conheça abaixo alguns quesitos que sempre devem ser levados em consideração quando se executa uma manutenção preventiva para caminhão: 

1 – Checagem dos pneus

Checagem dos pneus

Pode parecer bobagem, mas a verificação do bom estado dos pneus é quesito fundamental durante uma manutenção. Os pneus são os responsáveis por boa parte da estabilidade que um caminhão possui, devendo ser um item obrigatório a ser conferido.

Sendo assim, qualquer sinal de vazamento, furos, cortes, baixa calibragem ou até mesmo ferrugem nos parafusos da roda deve ser motivo de preocupação e passível de reparo. è preciso ficar atento a cada detalhe e sinal para que uma possível troca seja realizada com segurança. Não esqueça dos steps nessa checagem. 

Check List do caminhoneiro

2 – Verificação do óleo do motor

Verificação do óleo do motor

Outro ponto básico para uma revisão, mas que por vezes acaba sendo esquecida é a questão do óleo do motor. Com a alta exigência sobre o motor devido ao seu uso constante, é fundamental ter atenção ao óleo que está sendo utilizado, sendo indicado a troca constante desse fluído para garantir a segurança do caminhão.

Esse deve ser um dos itens primordiais de qualquer manutenção preventiva para caminhão, uma vez que a não lubrificação correta do motor pode levar a fundição do componente, o que pode ser fatal se ocorrer na estrada, por exemplo. Assim, se atente as recomendações dos fabricantes e faça as trocas nos momentos certos.  

3 – Qualidade dos filtros

Qualidade dos filtros

Assim como a dica apresentada no tópico anterior deste artigo, os filtros do caminhão, de óleo, de combustível e de ar do motor, também devem receber uma atenção especial e seguir a recomendação dos fabricantes de troca. O ideal é que sempre sejam usados produtos originais nessa troca, garantindo que o caminhão continue tendo máxima eficiência.

4 – Sistema elétrico

Sistema elétrico

O quarto aspecto que também deve ser levado em conta durante uma manutenção preventiva para caminhão é o seu sistema elétrico. A bateria do caminhão deve sempre contar com a sua solução destilada em níveis adequados para o seu uso, enquanto que os polos não podem apresentem qualquer tipo de impureza.  

O alternador também deve estar em perfeitas condições de uso. Além disso, deve ser verificado periodicamente a condição dos faróis, setas e luzes de freio, pois qualquer problema com algum desses itens pode gerar multas em uma fiscalização.  

5 – Sistema de transmissão de marchas

Sistema de transmissão de marchas

O sistema de transmissão é responsável por transmitir a rotação do motor às rodas de tração do caminhão. Ou seja, a mudança de uma marcha gera a diminuição ou aumento das rotações por minuto (RPM), o que gera atrito no sistema. Diante disso, também é preciso ficar atento a esse sistema, mantendo a sua lubrificação necessária.  

Nesse caso, ficar atento ao ruído emitido ao passar a marcha ou reparar se está sendo necessário utilizar um força maior para realizar esse processo, podem indicar se está no momento ou não de uma troca ou reparo.  

6 – Suspensão

Suspensão

O sistema de sustentação também merece uma atenção especial quando tratamos de uma manutenção preventiva. Sendo assim, na suspensão deve ser checado o estado das molas, dos batentes, bandejas, barra estabilizadora, entre outros, além da lubrificação dos pinos de suporte e centrais.

Caso a suspensão do seu caminhão seja pneumática, as mangueiras e válvulas também necessitaram de um cuidado constante para evitar maiores problemas. 

7 – Freios

Freios

Por último, mas não menos importante, o sistema de freios precisa ser checado rigorosamente em uma manutenção preventiva. Isso porque a frenagem dos veículos pesados é mais desgastante exigindo um mais de todo sistema, devido ao peso total do veículo.

Com isso, para assegurar o bom funcionamento deve ser conferido a pressão no manômetro corresponde à pressão indicada, a ocorrência de vazamentos no sistema, ressecamento das mangueiras e qual é o estado do compressor. Pastilhas e lona de frio também devem ser levadas em consideração nessa análise. 

Conclusão

De uma forma geral, a manutenção preventiva para caminhão se apresenta como uma forma muito mais fácil de se evitar maiores problemas sem ter um gasto muito elevado. Gostou desse conteúdo? Então aproveite para conhecer mais sobre o mundo dos pesados no nosso blog. É só clicar aqui
E se você não segue o CEC nas redes sociais não perca tempo e nos siga no Instagram.

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Conteúdo Originalmente postado em: Manutenção preventiva para caminhão: Como fazer.

Seguro de Caminhão: Como pesquisar um bom

Assim como com qualquer outro objeto, somos ensinados a sempre cuidamos das coisas que possuímos, ainda mais quando levamos essa questão para um caminhão. Com isso, parte dessa proteção passa pela aquisição de um bom seguro para caminhão, gerando uma tranquilidade maior para rodar pelas estradas do Brasil. 

Isso porque além das viagens diárias serem extremamente desgastantes, também existe o risco frequente de acontecer algum imprevisto, como colisões, roubos, furtos e problemas elétricos, por exemplo. Assim, um seguro de confiança é extremamente importante para que seja possível realizar o trabalho do transporte com qualidade e segurança.  

Diante desse cenário, surge a dúvida: como encontrar um bom seguro para caminhão? A resposta para essa pergunta que trabalhamos ao longo desse conteúdo. Dessa forma, siga com a sua leitura e descubra o que deve ser feito para que o seu caminhão seja segurado e você não tenha problemas. 

Coberturas de seguro de caminhão

Coberturas de seguro de caminhão

Antes de saber qual dever ser o procedimento adotado para conseguir encontrar um bom seguro para caminhão, é necessário entender o que vai ser garantido dentro dessa cobertura. Diante desse cenário, como em qualquer outro seguro, você pode escolher o pacote oferecido por diferentes seguradoras.

Assim, o procedimento mais comum de ocorrer é o de os motoristas contratarem coberturas básicas e adicionarem serviços de proteção extra. Veja abaixo o que normalmente faz parte dos pacotes básicos de seguro para caminhões: 

  • Proteção contra colisão;
  • Proteção contra furto;
  • Proteção contra incêndio;
  • Responsabilidade Civil Facultativa Veículos (RCF-V).

No entanto, como afirmado anteriormente, também é totalmente possível adicionar outros tipos de serviço a cobertura do seguro contratado. Veja abaixo uma relação com os adicionais mais oferecidos pelas seguradoras no Brasil: 

  • Acessórios de som e imagem;
  • Acidente com os ocupantes do veículo;
  • Caminhão basculante;
  • Carroceria;
  • Carta Verde;
  • Carro extra;
  • Indenização por perda de faturamento;
  • Seguro da franquia; 
  • Serviços 24 horas, como chaveiro, mecânico, reboque, troca de pneu,entre outros.  
  • entre outras;

Porque ter um seguro?

Porque ter um seguro?

Pode até parecer algo óbvio, mas ter um seguro é extremamente importante para quem vive a maior parte dos seus dias rodando pelas estradas brasileiras com o seu pesado. Sendo assim, veja abaixo 3 benefícios de ter um bom seguro de caminhão:  

1 – Proteção contra roubo ou furto – Talvez o maior medo dos caminhoneiros é ter a sua carga roubada ou furtada durante um transporte. Isso é totalmente justificável, uma vez que, segundo dados do Sistema Firjan, de 2011 a 2016, ocorreram mais de 97.786 ocorrências desse tipo no país, totalizando um prejuízo de mais de 6,1 bilhões.  

Além de proteger a carga, obviamente, o seguro também protege o próprio caminhão, garantindo que o motorista não fique sem a sua fonte de renda diária. Ou seja, restitui o valor do caminhão caso ela não seja recuperado pelas autoridades. 

2 – Seguro para terceiros – Na estrada, como você bem deve saber, qualquer descuido ou desatenção pode ser o motivo causador de um acidente. Em situações de extremo cansaço esse perigo pode se tornar maior ainda. Com isso, além de ter que reparar o próprio caminhão nesses casos, também será preciso arcar com o reparo do veículo de terceiros.  

Assim, contar com um adicional que garante o seguro para terceiros é fundamental para diminuir a dor de cabeça nesses casos. 

3 – Pagamento do conserto – Em casos de acidente na estrada, o comum é que alguma parte do caminhão seja atingido e tenha que passar por reparos. Diante desse cenário, ao contar com um seguro, você não corre o risco de ter que gastar uma parte ou todo o seu faturamento de um mês para arrumar o caminhão. 

Com o seguro, a maior parte dessas despesas será paga pela seguradora e não por você. Ou seja, em muitos casos, sai mais barato pagar por um seguro do que ter que arcar com todos os gastos do concerto. Para isso, a carroceria do caminhão acaba sendo considerada a parte integrante do veículo. Desta maneira, ela estando segurada, o caminhão estará. 

Como encontrar o melhor seguro para o seu pesado?

Como encontrar o melhor seguro para o seu pesado?

Diante de tudo que foi apresentado até agora neste artigo, fica a pergunta no ar: como escolher o melhor seguro de caminhão? Te responderemos isso a seguir. Veja abaixo a 5 coisas que devem ser feitas para se encontrar o melhor seguro para o seu pesado:  

1 – Pesquise diferentes seguradoras e valores 

Como em qualquer outro serviço ou produto que você deseja contratar, o ideal antes de definir o escolhido é verificar todas as possibilidades que existem no mercado. No caso do seguro, é preciso avaliar as propostas das mais diferentes seguradoras, comparando propostas e valores oferecidos. 

A cotação e análise desses valores te garante uma melhor certeza do que deve ser escolhido. Somente após uma análise realista das propostas pode ser feita a decisão final. 

Ebook de 10 dicas para vender seu caminnhão

2 –  Fique atento à cobertura

Fique atento à cobertura

Um segundo aspecto que deve ser levado em conta na escolha do seguro de caminhão é em relação a cobertura de atendimento. Se o seu trabalho se baseia apenas em transportes a nível municipal, não existe a necessidade de contar com um seguro que apresenta cobertura para todo território nacional.

No entanto, caso o destino das cargas que você transporta seja outros estados ou até mesmo outras regiões do país, fique esperto com a questão da cobertura, pois isso impactará diretamente no seu dia a dia nas estradas. Do resto, contratar uma cobertura além do que é necessário apenas te fará gastar mais dinheiro.

3 – Informe a carga transportada

Informe a carga transportada

A carga que será transportada, normalmente, também influencia no valor que será pago no seguro. Isso acontece porque dependendo da carga, existe um maior risco de roubo ou de ocorrer algum problema, como no caso produtos eletrônicos ou de produtos inflamáveis, por exemplo.

Sendo assim, não deixe de informar o que será transportado para a seguradora, pois isso deverá constar na apólice de alguma maneira e influenciará no seu valor.  

4 – Encontre a franquia certa

Encontre a franquia certa

Dentro da escolha do seguro de caminhão um fator que também ganha peso é a franquia escolhida. Essa escolha influencia diretamente no preço final do seguro, além de mudar a participação obrigatória do segurado no caso de algum sinistro que exige reparos. Considerar esse custo é uma tarefa importante no escolha do seguro para o seu pesado. 

5 – Valor da renovação do seguro

Valor da renovação do seguro

Por último, mas também de grande importância, o valor de uma possível renovação do seguro de caminhão também deve ser considerado no momento da contratação de uma apólice. Por ser o método mais fácil de manter o seguro, do que fazer uma nova cotação, o valor imposto para a renovação automática é extremamente importante, pois pode te fazer perder dinheiro.

Conclusão

Em suma, para encontrar o melhor seguro de caminhão para o seu pesado é preciso ter calma e analisar de uma forma completa o mercado, encontrando aquilo que melhor se encaixa nas suas necessidades. Gostou do conteúdo? Aproveite para também saber como lucrar vendendo o caminhão

Para não perder nenhum dos nossos conteúdos, siga nossa página do Facebook que nós avisamos quando cada conteúdo é postado.

Check List do caminhoneiro

Conteúdo Originalmente postado em: Seguro de Caminhão: Como pesquisar um bom.

Troca do motor de caminhão: Como identificar?

Se fomos fazer uma comparação com o corpo humano, qual local do seu caminhão poderia ser considerado o coração? Dentre as diversas respostas que podem ser dadas, a mais plausível delas é o motor. Isso porque, assim como o órgão humano, um motor sofre com o desgaste ao longo do tempo, precisando de maiores cuidado. Mas, caso chegue a níveis mais sérios de complicações, pode existir a necessidade de trocar o motor do caminhão.   

Além da perda de performance natural com a deteriorização, um motor muito gasto pode chegar ao ponto de deixar o motorista na mão no meio de um frete, pois não consegue mais exercer a sua função primária de dar a potência para o veículo andar. Desta maneira, passa entrar em cena a ideia de realizar a troca do mecanismos por um mais conservado e moderno.

Sendo assim, para saber de fato qual o momento certo para realizar essa troca é preciso estar atentos aos próprios sinais que o motor vai fornecendo ao longo do tempo. Então, para te ajudar, separamos alguns critérios que devem ser levados em conta para decidir de está na hora de fazer a troca do motor de caminhão ou não. Boa leitura.

Critérios para avaliar a troca do motor de caminhão

Critérios para avaliar a troca do motor de caminhão

O seu caminhão está dando sinais de problema quando é muito exigido? Isso pode ser resolvido com a troca do motor de caminhão. Confira abaixo 6 coisas que precisam ser levadas em conta para tomar essa decisão de maneira mais assertiva. 

1 – Frequência das manutenções

Frequência das manutenções

Um dos indicadores mais sintomáticos de que está chegando o momento de fazer a troca do motor é o aumento progressivo da quantidade de manutenções necessárias para fazer com que o veículo esteja em condições de uso. Como já mencionado anteriormente, chega um determinado ponto que o desgaste desse componente se torna tão grande que as falhas e panes se tornam comum no dia a dia do caminhoneiro.

A perda de potência e aumento exagerado do consumo de combustíveis são apenas alguns exemplos de situações que passam a ocorrer em conjunto com o aumento das revisões. Dependendo do caso, é possível somente fazer a retifica do componente e tudo voltar ao normal, mas em outros já é preciso fazer a troca.   

2 – Presença de vazamentos

Presença de vazamentos

Poças de óleo ou outros fluidos que ficam embaixo do motor do caminhão, após o veículo ficar estacionado em um local por um determinado tempo, também não são um bom sinal. Esses vazamentos também podem ser considerados como um indício da necessidade de retífica ou troca do motor de caminhão. 

Entenda que a falta de óleo no motor aumenta o atrito e, consequentemente, o desgaste das peças do componente. Assim, não seja negligente ao ponto de continuar rodando com o pesado mesmo sabendo disso, pois cada quilômetro rodado com o veículo nessas condições pode significar um perigo para a sua vida e para as de todos que cruzarem o seu caminho. 

Assim, nesses casos, além de uma revisão completa do motor para saber se será necessário fazer a substituição do componente, também é indicado checar  outros sistemas, pois não é incomum a ocorrência do vazamento de fluídos de freios, de transmissão e de gás.

Check List do caminhoneiro

3 – Emissão de ruídos

Emissão de ruídos

Assim como ocorre com o vazamento de fluídos, a emissão de ruídos de for exagerada também deve ser encarada como um forte indício de que o motor do caminhão está com os dias contados. Popularmente, o baralho que se é ouvido nesses casos é conhecido como “batido de pinos”.

Quando ocorre esse fenômeno no componente, ocorre uma elevação na temperatura do motor, gerando o aparecimento de ranhuras nas peças e, caso não seja feito o reparo adequado, pode chegar a problemas irreversíveis nos pistões e cilindros, o que forçaria de qualquer forma uma troca do motor de caminhão. 

Também é preciso ressaltar, que nesse casos também deve ser levado em conta a saúde e conforto do motorista ao dirigir o veículo, pois conviver com altos índices de ruído é extremamente prejudicial à saúde.    

4 – Tempo de uso do caminhão

Tempo de uso do caminhão

Pode parecer uma coisa intuitiva, mas é preciso compreender que o tempo de uso de um caminhão também deve ser levado em conta na análise do motor. Isso porque, por um lado, com o tempo de uso o componente vai se deteriorando naturalmente e, por outro, se torna também difícil achar uma reposição compatível para eventuais manutenções.

Esse ponto pode acabar dificultando a questão da manutenções, deixando elas cada vez mais caras, o que inviabiliza a permanência do motor atual. Além desse ponto, também é necessário considerar que com o tempo de uso não somente o motor passa a ter problemas, como também outro sistemas do veículo.

Sendo assim, um problema de outro componente pode fazer com que o motor seja afetado e, por consequência, tenha a sua vida útil abreviada. Assim, nesse tipo de situação, pode ser considerada a troca do motor de caminhão ou até mesmo a compra de outro veículo, por exemplo. 

5 – Expulsão de fumaça

Expulsão de fumaça

Muita fumaça saindo do escapamento? Isso também pode significar problema. Obviamente que é preciso analisar profundamente o porquê de estar ocorrendo essa anomalia, mas já demonstra que algo não está dentro do padrão de funcionamento do componente. Problemas no sistema de injeção e em outros componentes aumentam a emissão de poluentes e elevam o consumo de combustível.

Diante desse cenário, é importante achar o mais rápido possível o causador do problema. A própria cor da fumaça pode auxiliar na identificação do problema. O lançamento de fumaça escura pode apontar, por exemplo, o desgaste nos anéis do motor. Sendo assim, é preciso entender o problema e saber se será preciso fazer a troca do motor do caminhão ou não. 

Conclusão   

Em suma, decidir se é o momento correto para fazer a troca do motor de caminhão exige muito estudo e atenção com os sinais que o seu pesado apresenta todos os dias. Gostou desse conteúdo? Então, acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro de todos os nossos conteúdos.

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Conteúdo Originalmente postado em: Troca do motor de caminhão: Como identificar?.

Ferramentas para deixar dentro do Caminhão

O dia a dia na estrada reserva uma série de surpresas para os motoristas, sendo elas positivas ou não. Com isso, é preciso estar sempre preparado para qualquer  possível adversidade. Uma das formas de se precaver, é sempre dispor de ferramentas para caminhão em bom estado e prontas para serem usadas. 

Contar com um jogo de ferramentas adequado pode fazer a diferença no momento de um aperto com o seu pesado na estrada, desde pequenas falhas até mesmo quando ocorrer panes mais complexas. Além disso, sempre se lembrar de realizar manutenções preventivas pode ajudar.

Diante desse cenário, quer saber quais as ferramentas para caminhão que devem sempre estar no seu pesado? Continue lendo esse artigo até o final e descubra. Tenha uma boa leitura. 

Por que é preciso ter boas ferramentas para caminhão?

Em muitos casos, os caminhoneiros realizam as suas viagens de forma solitária, devido, entre outras coisa, a necessidade básica de apenas uma pessoa dirigir o caminhão. Sendo assim, ao cruzar as rodovias brasileiras é preciso contar com os mais diferentes tipos de material para conseguir resolver problemas com o caminhão. 

Contar com esses materiais garante que na necessidade de algum reparo seja possível ganhar tempo e voltar a estrada sem maiores prejuízos. Essa rapidez no concerto também garante um menor tempo de exposição da carga transportada parada na estrada, algo que é extremamente perigoso. 

Quais são as ferramentas para caminhão que todo caminhoneiro precisa ter?

Quais são as ferramentas para caminhão que todo caminhoneiro precisa ter?

Antes de cair na estrada com seu pesado, não deixe de verificar se as ferramentas para caminhão estão em bom estado e prontos para uso. Assim, para te ajudar, veja abaixo uma relação de equipamentos que você deve sempre levar para as viagens: 

1 – Macaco

Macaco

A primeira ferramenta que todo caminhoneiro deve ter em sua lista de equipamentos é o macaco. Fundamental na resolução dos problemas do dia a dia, essa ferramenta ganha uma importância ainda maior devido ao péssimo estado de conservação de diversas rodovias brasileiras, que acabam gerando avarias ao veículo durante o tráfego.   

Dessa forma, principalmente nesses locais, aumentam as chances de que ocorra um problema com a suspensão ou até mesmo estoure um pneu. Com isso, é provável que você faça uso do macaco com certa frequência para realizar algum reparo. Independente disso, compreenda que existe diversos modelos de macaco que podem ser usados. 

Assim, o mais indicado, é consultar o manual do seu caminhão e descobrir qual o tipo de macaco é compatível com o tipo e o peso do seu caminhão. Caso não exista essa correspondência, existe o risco de acidentes, pois a ferramenta inadequada pode não aguentar a carga e ceder durante um reparo.  

2 – Torquímetro

Torquímetro

Muito comum nas oficinas, o torquímetro é outra ferramenta para caminhão que pode auxiliar muito nas tarefas do dia a dia na estrada. A sua função básica é demonstrar o torque aplicado em determinado componente do veículo, como no aperto e afrouxo de parafusos, porcas, entre outros.

Se usado em conexão com as orientações de uso do veículo determinados pela montadora, pode evitar graves consequências, uma vez que são expressas as limitações estruturais de cada uma das peças, evitando que você espane, rompa ou destrua algum componente e gere um acidentes.  

3 – Alicates e chaves

Alicates e chaves

Com certeza, se você já fez qualquer tipo trabalho manual dentro de casa ou no caminhão para consertar alguma coisa percebeu que as chaves e alicates são sempre de grande valia. Essas ferramentas para caminhão são bastante versáteis e podem ser utilizadas nas mais diferentes situações do dia a dia. 

Um exemplo comum que essas ferramentas podem ser aplicadas é no caso de alguma falha mecânica do motor, quando é preciso desparafusar alguma parte para avaliar o problema e posteriormente remontar. Sem esses equipamentos é provável que você tenha dores de cabeça maiores quando surgirem os problemas. Sendo assim, no geral, ter um jogo de chaves com modelos variados será seu grande aliado na estrada. 

tirar você de situações de perigo, ao permitir a solução rápida de pequenas panes ou substituição de peças, como lanternas, lâmpadas etc.

Check List do caminhoneiro

4 – Scanner

Scanner

Você acha que conhece o seu caminhão? Independente dos anos que vocês já podem ter juntos, nem sempre será possível identificar os problemas apenas com os seus sentidos. Por isso é importante contar com o auxílio de equipamentos de análise, como o chamado scanner automotivo.

Essa ferramenta para caminhão trata-se de um dispositivo formado por um módulo que é conectado diretamente na central eletrônica do seu veículo. Ao fazer a conexão com o caminhão, só será preciso parear o equipamento com um smartphone e usar o aplicativo disponibilizado pela fabricante do scanner. 

Sendo assim, será possível identificar os problemas do seu caminhão assim que eles surgirem, diretamente pela tela do celular, procurando soluções rápidas para que não se tornem maiores preocupações no futuro.

5 – Luvas de proteção

Luvas de proteção

Como você já pode perceber na sua vivência diária dirigindo caminhão pelas estradas brasileiras e pelas questões já mencionadas nesse artigo, muitos dos concertos necessários demandam o uso da força física e o manuseio de peças pesadas. Com isso, se torna sempre presente o risco de ocorrer acidentes, mesmo que em uma simples troca de pneu.

Diante desse cenário, o caminhoneiro que deseja de precaver, deve sempre utilizar equipamentos de proteção, com as luvas. Apesar de parecer algo banal perante a outras preocupações, as luvas podem evitar acidentes graves no momento da solução de algum imprevisto na estrada.

As luvas evitam, por exemplo, a exposição direta a superfícies superaquecidas, escoriações, entre outros problemas. Dependendo do serviço realizado, também devem ser usados protetor auricular, óculos para produtos químicos, coletes luminosos, respirador para pó, máscara semifacial, entre outros.  

Conclusão

De uma forma geral, para realizar uma viagem segura pelas rodovias brasileiras é preciso contar com um bom kit de ferramentas para caminhão. Com esses equipamentos será possível solucionar as demandas que surgirem no dia a dia na estrada, evitando atraso nas entregas e maiores prejuízos.

Para saber mais sobre ferramentas para caminhão e outras demandas do setor dos pesados, clique aqui e acesse o nosso blog agora.  

Ebook de 10 dicas para vender seu caminnhão

Conteúdo Originalmente postado em: Ferramentas para deixar dentro do Caminhão.

Crime na estrada: Como o caminhoneiro previnir

Assim como tem ocorrido dentro das cidades, realizar o transporte de cargas pelas rodovias do Brasil a fora tem se tornado um trabalho difícil para os caminhoneiros, devido ao constante crescimento no número de roubos e furtos de carga, entre outros pertences. Sendo assim, para quem trabalha com esse serviço é preciso estar sempre em alerta para não ser o próximo a sofrer um crime na estrada. 

Diante desse cenário alarmante, é necessário tomar algumas atitudes que contribuem para a realização de uma viagem mais segura. Essas boas práticas podem ir desde a adoção de tecnologias de segurança até mudanças de hábitos durante os transportes. Dessa forma, se torna menor a chance da ocorrência de uma maior dor de cabeça.

Então, quer saber como pode deixar a sua viagem mais segura e não correr risco de sofrer algum crime na estrada? Siga com a leitura desse artigo até o final e descubra 7 dicas de como evitar problemas durante o transporte de cargas. 

7 dicas para o caminhoneiro evitar crime na estrada

7 dicas para o caminhoneiro evitar crime na estrada

Conheça agora algumas práticas simples que podem trazer uma maior segurança na estrada para você:

1 – Estude a rota traçada

rota traçada

Apesar de sempre estar rodando pelas mais diferentes estradas do Brasil e ter experiência no volante, sempre existirá um momento onde o caminhoneiro terá de fazer um percurso novo devido a um determinado serviço. Dessa forma, cresce o risco de se perder durante o caminho ou até mesmo transitar por locais perigosos devido ao puro desconhecimento.

Para evitar esse tipo de situação, independente da estrada onde for rodar, é preciso criar o hábito de sempre estudar a rota que será percorrida durante a realização da tarefa. Essa ação garante que você conhecerá de antemão quais os pontos deve evitar, as estradas em melhores condições, entre outros aspectos que auxiliam no momento da viagem.

Sendo assim, para que esse estudo seja realmente proveitoso, deve ser sempre levado em conta ao analisar uma rota:

  • Trajetória;
  • Pontos de parada;
  • Postos policiais;
  • Estradas perigosas.  

2 – Faça manutenção preventiva no caminhão

Faça manutenção preventiva no caminhão

Essa talvez seja a dica que os caminhoneiros mais recebem, mostrando a importância que essa questão apresenta. Realizar a manutenção preventiva do caminhão dentro dos períodos estipulados pelo fabricante evita não só acidentes por falha mecânica como também contribui para segurança da viagem, reduzindo os riscos de crime na estrada.

Isso porque um caminhão que sofre algum problema na estrada fica exposto a ação de bandidos mais facilmente, além dificultar o andamento da viagem, o que implica em uma perda de tempo durante o percurso para a realização de algum concerto ou qualquer outro tipo de ação corretiva.  

3 – Responsabilidade no volante

Responsabilidade no volante

Também é preciso compreender que além de estar levando uma carga de valor, ao dirigir um caminhão nas estradas, o caminhoneiro tem responsabilidade sobre a sua própria vida e das outras pessoas que por ventura cruzam o seu caminho nas rodovias. Desta maneira, é necessário encarar o ato de dirigir com ainda mais responsabilidade.

Obedecer às leis de trânsito, os limites de velocidade da via, além de não dirigir com sono excessivo ou sobre o efeito de estimulantes são apenas algumas práticas que devem ser seguidas na estrada. Ao dirigir o caminhão dessa forma, por exemplo, diminui as chances de ocorrer um acidente e, por consequência, um furto da carga transportada. 

4 – Faça pausas durante o percurso

Faça pausas durante o percurso

Como mencionado no tópico anterior, o sono e o cansaço são dois “inimigos” comuns dos motoristas de caminhão. Esse problema se agrava, muitas vezes, devido aos prazos de entregas que devem ser cumpridos. Apesar disso, evitar pausas para descansar ou dormir não é a melhor estratégia otimizar suas viagens e evitar crime na estrada. 

O ideal é que caminhoneiro faça, pelo menos, uma pequena pausa, algo em torno de 20 minutos, a cada 3 horas de viagem. Essa é uma técnica que faz com que o corpo fique mais descansado e tenha um melhor rendimento ao volante, realizando o percurso definido de forma mais segura. 

A tecnologia pode te ajudar nesse ponto através de aplicativos de trajetos, que indicam pontos de parada, serviços e outras utilidades. 

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

5 – Diminuir o tempo da carga parada

Como já mencionado, o caminhoneiro necessita de um tempo de descanso para a viagem consiga ser de fato eficiente, evitando o desgaste excessivo e riscos na condução. Entretanto, esses momentos de pausa precisam ser bem planejados, pois cargas paradas na estrada são mais fáceis de serem alvos da ação de ladrões.

Sendo assim, deve existir um equilíbrio entre o tempo parado e o rodando pelas estradas. O motorista deve conseguir atender às suas necessidades básicas durante esse período e pausa e, assim que possível, já retornar para o volante. Qualquer período além disso já representa risco à carga.  

6 – Evitar o transporte noturno

Outro ponto que precisa ser levado em consideração por aqueles motoristas que desejam diminuir os riscos de sofrer crime na estrada é o transporte de cargas à noite. Diversas rodovias brasileiras apresentam problemas de má conservação, sinalização ruim, precariedade na iluminação, entre outras coisas, o que pode ser usado a favor dos criminosos, ainda mais no período noturno.

Além disso, dirigir à noite se torna uma tarefa arriscada devido a pouca fiscalização das estradas, sendo um prato cheio de possibilidades para os criminosos aproveitaram. Diante desse cenário, é preferível optar pelos transportes diurnos, uma vez que as condições da rota, apesar de não serem as melhores, são mais seguras para o motorista e a carga transportada.

7. Alimente-se bem e evite distrações

Por último, mas não menos importante, está a questão da alimentação durante o trajeto. Assim, evite comer coisas muito pesadas antes de pegar a estrada por causa da sensação de sonolência que é gerada. Isso é gerado, normalmente, pela alta concentração de sangue no estômago e baixa no cérebro, local esse aliás, que mais necessita de sangue no momento da direção. 

Também é preciso focar na hidratação, bebendo ao menos dois litro de água por dia. Além disso, já em relação ao ato de dirigir em si, é preciso atenção total na estrada. Assim, evite ficar conversando ou no celular durante uma viagem de horas. Prefira ouvir o rádio, pois essa atitude não desvia os seus olhos da estrada. Afinal qualquer distração pode ser utilizada por pessoas más intencionadas.

Conclusão

Como demonstrado ao longo do artigo, para diminuir os riscos de crime na estrada não é preciso tomar atitudes muito drásticas. Basta adequar algumas posturas ao volante e sempre ter o foco na máxima segurança, seja da carga ou na própria. Deixe um comentário sobre a sua opinião em relação a esse tema. 

Check List do caminhoneiro

Conteúdo Originalmente postado em: Crime na estrada: Como o caminhoneiro previnir.

Viagem de caminhão: Como fazer uma viagem segura em 2020

Toda profissão apresenta benefícios e obstáculos para os trabalhadores que que desejam segui-lá. Com os caminhoneiros não seria diferente, portanto. Conhecer diversos locais do país pode ser considerado uma grande vantagem, apesar de para isso ter que enfrentar, durante a viagem de caminhão, o cansaço, a saudade de casa e os problemas das rodovias brasileiras.

Apesar desses contratempos comuns na vida de qualquer caminhoneiro, existem diferentes formas de fazer com que as viagens sejam mais cômodas e seguras. Com isso, se evita situações de perigo, como assaltos e acidentes nas estradas e garante-se que o caminhoneiro voltará em segurança para a sua família após o trabalho.

Sendo assim, quer saber como melhorar uma viagem de caminhão pelas rodovias brasileiras? Então, é simples. Siga com a leitura desse artigo até o seu final e conheça 5 dicas valiosas de como fazer uma viagem segura em 2020. Tenha uma boa leitura. 

5 dicas para fazer uma viagem de caminhão segura

5 dicas para fazer uma viagem de caminhão segura

A carga já está arrumada no caminhão e você está se aprontando para partir em mais uma viagem de caminhão? Então, aproveite para otimizar a sua preparação para a viagem conhecendo 6 dicas que vão fazer a sua viagem ser muito mais segura. Acompanhe abaixo: 

1 – Planeje a sua rota

Planeje a sua rota

O primeiro passo que sempre deve ser tomado antes de cair na estrada para mais uma viagem de caminhão é conhecer toda a rota que será percorrida. É fundamental fazer esse estudo prévio sobre o percurso que será andado, isso porque, como não é novidade para ninguém, diversas rodovias brasileiras possuem uma sinalização precária e se encontram em um estado de conservação ruim. 

A desorganização da malha rodoviária brasileira também atrapalha os caminhoneiros, uma vez que existem diversos locais sem pontos de parada adequados e com uma alta taxa de criminalidade. Dessa forma, o motorista sempre deve saber exatamente alguns tópicos, como a distância que vai percorrer, pontos de parada, restaurantes, postos de combustível, entre outras coisas.   

Além disso, também é preciso se atentar a zonas com risco de deslizamento, com a presença de muitos animais na pista e nunca se esquecer da documentação pessoal e do veículo. Assim, antes de dar partida no caminhão,é necessário conhecer o que será enfrentado na estrada. 

Check List do caminhoneiro

Como planejar a rota? 

A partir das dicas apresentadas no tópico anterior, você pode ter dúvidas de como realizar esse planejamento da viagem de caminhão, mas fique tranquilo, pois é algo simples. Obviamente, a primeira coisa que vai contar nessa etapa anterior a viagem é a experiência do caminhoneiro e o conhecimento adquirido sobre os caminhos, além de avisos recebidas de outros colegas. 

Apesar disso, atualmente, uma possível falta de experiência ou conhecimento sobre determinado percurso pode ser suprimida com o auxílio de algumas ferramentas. Programas como o Google Maps e o Waze indicam desde as localizações de postos de combustível, restaurantes e pedágios, até as condições do trânsito e das pistas, compartilhadas pelos próprios usuários em tempo real. 

Também podem ser utilizadas como fontes de informação os sites das concessionárias das rodovias, informes da polícia rodoviária, entre outras possibilidades. Com essa pesquisa em mãos, será possível antecipar o valor gasto, reservando algum recurso para uma possível emergência e também previsionar as paradas que serão realizadas.  

2 – Manutenção preventiva no caminhão

Manutenção preventiva no caminhão

Outra tarefa importante de ser realizada antes de pensar em cair na estrada para mais uma viagem de caminhão é realizar a manutenção preventiva do veículo. Para isso, diversos itens devem ser checados no caminhão. Para isso, preparamos um checklist das coisas mais importantes que devem ser levadas em conta nessa hora:

  • Faróis funcionando corretamente;
  • Pneus calibrados e em bom estado;
  • Revisão do motor com com óleo e nível da água do radiador em dia;
  • Verificação da presença e estado dos equipamentos de porte obrigatório, principalmente, estepe, macaco, triângulo e chave de roda;
  • Checagem da funcionalidade dos limpadores de parabrisa e luzes do veículo.

3 – Organização da cabine

Organização da cabine

Para que a viagem de caminhão seja mais confortável, também deve ser levado em conta a questão da limpeza da cabine. Como é nesse local que o caminhoneiro irá passar a maior parte dos seus dias, é preciso manter o ambiente em condições de uso, pois para o bem ou para o mal, o que for realizado nesse espaço, será sentido durante a viagem toda.

Diante desse cenário, evite, principalmente, fazer as refeições na cabine e acumular muito lixo no local. Além disso, higienize corretamente itens como os bancos, maçanetas, painel, tapetes e filtro da cabine, garantindo um local de melhor qualidade para enfrentar os quilômetros pelas rodovias. 

4 – Repouso contínuo 

Repouso contínuo

Realizar viagens de longa duração exige que os motoristas reservem espaços de tempo para o descanso. Desta maneira, o recomendado é de que a cada 3 horas dirigindo, os caminhoneiros façam uma pequena parada de até 20 minutos para descansar e se alimentar. 

Isso é necessário porque quem acaba encarando muito tempo na estrada sem parar, fica sujeito ao fenômeno da “hipnose rodoviária”, onde mantém de olhos abertos, mas sem percepção da realidade à sua volta, sendo um possível causador de um acidente. Também é preciso ter boas noites de sona, uma vez que o sono e o cansaço são dois grandes inimigos de qualquer caminhoneiro.  

5 – Utilize a tecnologia a seu favor 

Assim como já mencionado anteriormente, as novas tecnologias têm se transformado em uma grande aliada dos motoristas durante uma viagem de caminhão. Já existem diversos aplicativos para os celulares smartphones que agregam conhecimento e informações para facilitar as viagens.

Para te ajudar, separamos alguns “apps” que podem agregar durante as suas viagens:

  1. Drive Awake;
  2. AccuWeather;
  3. Carrorama;
  4. Gasspass;
  5. Carteira Digital de Trânsito;
  6. iCare;
  7. Beba Água – Water Drink Reminder;
  8. Spotify. 

Conclusão 

Além de todas as dicas apresentadas durante esse artigo de como é possível melhorar uma viagem de caminhão, também é preciso sempre levar em conta o bom senso e adaptar a sua rotina de viagem conforme as necessidades que forem surgindo. Além disso, sempre precisar é só contar com o Caminhões e Carretas. É só clicar aqui e ter acesso às melhores informações do setor. 

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Conteúdo Originalmente postado em: Viagem de caminhão: Como fazer uma viagem segura em 2020.

Viagem de Longa Distância: Como o caminhoneiro deve se preparar

Se você já é um caminhoneiro de longa data, com certeza, já enfrentou uma viagem longa distância e sentiu na pele as dificuldades de ficar tanto tempo na estrada. Ou, mesmo que você nunca tenha passado por essa situação, imagine como seria atravessar o Brasil do Oiapoque ao Chuí de uma única vez. Complicado, não é mesmo?

Sendo assim, é preciso estar preparado em todos os aspectos para conseguir enfrentar essa “maratona” com seu caminhão e chegar ao destino final com segurança e sem nenhum dano à carga. Além disso, também é necessário estar precavido de possíveis problemas que possam surgir ao longo do caminho, se antecipando aos imprevistos.    

Diante desse cenário, quer saber o que é preciso para se realizar uma viagem longa distância de caminhão? Então, siga com a sua leitura e saiba como maximizar a sua viagem, otimizando o tempo e os recursos gastos.  

Como se preparar para uma viagem longa distância de caminhão? 

Você não precisa se desesperar se surgir um serviço de transporte de carga de longa distância. Basta seguir as 7 dicas abaixo que o seu percurso será mais confortável e seguro. Confira!

1 – Planejamento

Planejamento

A primeira e, provavelmente, a dica mais importante para que uma viagem de longa distância ocorra de forma tranquila é fazer um planejamento da de toda a viagem. Isso porque, apesar de a experiência contar no momento de realizar os transportes, em distâncias maiores, se torna maior as chances de desconhecimento do trajeto.

Dessa forma, é preciso conhecer aprofundadamente a rota que será percorrida, determinando quais as melhores rodovias a serem percorridas, locais de parada, além de pontos que devem ser evitados pelos altos índices de criminalidade, por exemplo. Não realizar esse estudo prévio pode acarretar sérias consequências para os caminhoneiros.

A notada logo de cara é o prejuízo financeiro, uma vez que com o desperdício de tempo na estrada ocorre atrasos nas entregas, impossibilitando novos serviços. Além disso, a integridade do próprio condutor passa a ficar em risco, sendo que para compensar o tempo perdido, o motorista dirige mais horas no dia, inclusive no momento que era para o descanso, levando a uma direção perigosa que pode gerar acidentes na pista. 

2 – Inspeção geral no caminhão

Inspeção geral no caminhão

Outra medida que deve ser tomada para que seja realizada uma viagem longa distância com  segurança é a realização de uma revisão completa no caminhão. Como se vai passar muito tempo na estrada é necessário ter a certeza de que tudo está em pleno funcionamento e que os itens obrigatórios de segurança, como o extintor de incêndio, por exemplo, também estão funcionando.

Assim, a verificação deve passar desde a checagem do estado dos pneus e estepe até a conferência do nível dos fluidos do caminhão. A parte elétrica também deve ganhar uma atenção especial para garantir que não ocorra nenhuma pane durante o percursos que será percorrido. Também não pode ser esquecida a limpeza da cabine, pois uma viagem em um ambiente organizado é bem mais confortável. 

Ebook de 10 dicas para vender seu caminnhão

3 – Mantenha a postura

Mantenha a postura

Talvez você pense que esse seja uma preocupação supérflua em comparação com as outras já apresentadas até aqui, mas se atentar à postura em uma viagem longa distância é primordial para que o caminhoneiro chegue ao final do percurso “inteiro”. Ficar diversas horas na mesma posição, realizando os mesmo movimentos, pode trazer problemas para todo o corpo, principalmente para as mãos, punhos, braços e coluna.

Diante disso, certifique-se sempre de ficar em uma posição confortável, com facilidade de movimentar os pedais e câmbio, mas que também não fique demasiadamente relaxado, pois isso pode sobrecarregar algum membro. Leva em conta também a média de realizar uma parada de 20 minutos para descanso a cada 3 horas de viagem. 

4 – Confira a documentação do veículo 

Viagem de Longa Distância: Como o caminhoneiro deve se preparar

Para realizar um frete longo, assim como em qualquer outro serviço de transporte de carga, também é preciso ter máxima atenção com a documentação do veículo, da carga e habilitação, claro. Isso porque em caso de qualquer fiscalização na estrada, tanto policial quanto fazendária, você não encontrará problemas e seguirá tranquilo.

Tenha algo em mente: Jamais rode com documentação irregular, pois passa a correr sérios riscos de ser multado e ter o veículo e a mercadoria apreendidos. Conferir nunca é demais nesses casos. 

5 – Tenha uma boa alimentação

Tenha uma boa alimentação

A alimentação durante uma viagem longa distância também deve ganhar uma atenção especial dos motoristas. Fazer refeições com alimentos mais pesados pode causar problemas aos condutores, como o aumento da sensação de sono e diminuição do bem estar durante o percurso.

Portanto, busque ter uma dieta balanceada durante a realização do transporte, combinado porções de proteínas e carboidratos com as doses correspondentes de vitaminas e nutrientes. Isso refletirá positivamente no seu corpo e também, porque não, no seu bolso. 

6 – Tenha total conhecimento sobre a carga que está transportando 

Tenha total conhecimento sobre a carga que está transportando

Todos os caminhoneiros já sabem, ou devem saber, que cada tipo de carga que é transportada precisa seguir as suas especificações para não ficar sujeita a multa e até mesmo apreensões. Por exemplo, para o frete de cargas vivas, inflamáveis ou refrigeradas, existem protocolos diferentes e detalhados com o que deve ser feito. 

Além desse aspecto, também é necessário assegurar que não existe nada de ilegal sendo transportado,evitando que problemas futuros possam ocorrer. Os detalhes logísticos da entrega também devem ser de total conhecimento do motorista quando partir para a viagem, como horário e local disponíveis para carga e descarga e nota fiscal dos itens que estão sendo transportados.  

7 – Combata o tédio

 Combata o tédio

Uma última dica para que a sua viagem longa distância ocorra de uma forma melhor é buscar formas de eliminar o tédio na estrada, mas sem também perder o foco na direção. Sendo assim, tenha o rádio como uma companhia, por exemplo, ouvindo as suas músicas prediletas enquanto dirige. 

Conclusão 

Em suma, as dicas apresentadas nesse artigo, apesar de ser ainda mais necessária em viagem longa distância, também devem ser aplicadas em outros tipos frete, uma vez que buscam facilitar a vida dos motoristas durante o serviço. Assim, aproveite para compartilhar esse conteúdo com os amigos nas redes sociais e dividir com eles o que aprendeu aqui. 
E não perca nossos outros conteúdos do nosso Blog.

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Conteúdo Originalmente postado em: Viagem de Longa Distância: Como o caminhoneiro deve se preparar.

Calibrar pneu de caminhão: Leia tudo sobre o assunto

Você calibra os pneus do seu caminhão com que frequência? Somente quando percebe que estão muito vazios ou possui uma frequência de calibragem? É costumeiro encontrar motoristas que esquecem de calibrar pneu de caminhão ou, simplesmente, consideram essa tarefa secundária e sempre deixando para depois. 

No entanto, calibrar pneu de caminhão de forma correta é fundamental para manter a segurança durante a realização de um frete, além de conservar o próprio veículo. Assim, não realizar essa tarefa de manutenção no seu companheiro de estrada pode acabar tendo consequências mais sérias, como até acidentes fatais.

Então, para te ajudar a entender um pouco mais sobre o mundo da calibragem dos pesados, nós preparamos um artigo com tudo o que você precisa saber sobre o tema. è só seguir com a leitura até o final e saber mais. 

Quando calibrar os pneus?

Calibrar pneu de caminhão: Leia tudo sobre o assunto

Essa talvez seja a pergunta que os motoristas mais se fazem em relação aos pneus de um caminhão. Sendo assim, o que deve ser feito, de início, é checar constantemente a condição dos pneus, ficando a atento a aparência que o mesmo apresenta. Em caso de demonstração de esvaziamento, deve ser feita a calibragem com urgência. 

Apesar de essa tarefa parecer simples, nem sempre esse “sintoma” fica tão claro para ser notado. Com isso, para evitar que problemas aconteçam durante a realização de algum serviço, o recomendado é que seja feita a calibragem dos pneus a cada 15 dias ou antes de alguma viagem de maior distância.   

Problemas na calibragem

Problemas na calibragem

Se a calibragem não for realizada de forma correta, pode gerar dois tipos de situações básicas nos pneus: a alta pressão interna e a baixa pressão interna. Confira abaixo uma breve explicação sobre cada uma delas:

  • Alta pressão: Uma primeira coisa que pode ocorrer é o pneu ficar com uma pressão maior do que ele foi planejado para ter. Esse excesso acaba modificando a região de contato do pneu com o chão, gerando uma deterioração acelerada no meio da banda de rodagem. Desta maneira, o pneu fica vulnerável a cortes e furos, além de causar um desconforto ao dirigir.
  • Baixa pressão: Como você já pode imaginar, ao contrário da alta pressão, a baixa pressão nada mais é do que a ausência de ar dentro do pneu. Assim, a amplitude do pneu será alterada, gerando uma deterioração acentuada da banda na área dos ombros, o que reduz sua vida útil e aumenta o consumo de combustível. Também pode gerar o desprendimento de peças e o superaquecimento do caminhão.  

Nitrogênio x Ar comprimido

Nitrogênio x Ar comprimido

Para calibrar pneu de caminhão existem duas opções básicas que podem ser usadas, o ar comprimido e o nitrogênio. Em geral, o ar comprimido é mais fácil de ser encontrado, estando disponível na maioria dos postos de combustíveis espalhados pelo Brasil a fora. Apesar disso, esse gás mantém a pressão do pneu regulado por um tempo menor.  

Em contrapartida, o nitrogênio é mais encontrado para ser usado nessa tarefa, estando disponível, normalmente, apenas em oficinas especializadas. Mas, a sua vantagem em relação ao ar comprimido convencional é que ele consegue manter a pressão do pneu regulada por mais tempo. Assim, ocorre um desgaste menor do pneu e o tempo necessário para a inspeção da regulagem pode ser mais espaçado. 

Mas, fique ligado, os dois gases nunca podem ser misturados no momento da calibragem. Dessa forma, para realizar a substituição de um pelo outro é necessário esvaziar totalmente os pneus, tomando cuidado para não avariar as laterais por conta do peso do caminhão.

Ebook de 10 dicas para vender seu caminnhão

O estepe deve ser calibrado constantemente?

O estepe deve ser calibrado constantemente?

Seja em um frete rápido ou de longa distância, nunca se sabe quando pode acontecer um problema e, por acaso, um pneu furar. Por isso,é preciso sempre contar com um estepe em condições de uso no caminhão. Por isso, a cada 7 ou 15 dias, calibre o estepe com duas libras a mais que o recomendado, pois ele ficará armazenado no compartimento e pode esvaziar.

Também é recomendado para os caminhoneiros que o pneu do estepe seja da mesma marca dos que estão sendo utilizados. Isso evitará problemas de estabilidade na condução do veículo.

Riscos de não calibrar pneu de caminhão 

Riscos de não calibrar pneu de caminhão

Você já compreendeu a importância de calibrar pneu de caminhão? Para deixar ainda mais claro que essa é uma necessidade latente, reunimos abaixo os principais riscos de não fazer o processo de calibragem. Confira.

1 – Aquaplanagem

Aquaplanagem

Devido ao extenso tamanho das rodovias espalhadas pelo Brasil, não é difícil que durante um trajeto você saia de um de um local com sol e pegue pontos com chuva na viagem. Dessa forma, isso é algo extremamente rotineiro no dia a dia das pessoas que passam a vida nas estradas. 

Diante disso, temos um primeiro problema de não calibrar pneu do caminhão é que pode gerar: a aquaplanagem. Quando ocorre a combinação de muita água entre o pneu e o asfalto, a falta de calibragem do pneu impede que os sulcos existentes exerçam sua função e afastem o líquido, formando uma película de água que desencadeia o problema

2 – Maior consumo de combustível

Maior consumo de combustível

Com a constante variação no preço do diesel, os motoristas que desejam realmente economizar, principalmente aqueles que trabalham de forma autônoma, devem sempre  calibrar pneu de caminhão. Isso porque o simples fato de não mantê-los calibrados já aumenta o consumo do combustível.

Sendo assim, se você deseja ter um maior lucro durante os seus fretes, sempre se atente a condição dos pneus antes de cair na estrada. 

3 – Danos aos pneus e a viagem

Danos aos pneus e a viagem

Projetado para ser utilizado sobre circunstâncias específicas, os pneus quando são expostos a situações adversas tendem a serem mais suscetíveis a danos. Desta maneira, ao descuidar da calibragem dos pneus, um motorista corre o risco de ter rasgos, furos e a perda da borracha que cobre o pneu.

Entenda que o desgaste do pneu com o tempo é algo natural, mas com a descalibragem fica ainda maior. Com isso, a direção se torna algo pesado e desconfortável.  

Conclusão 

Como você pode perceber, calibrar pneu de caminhão é fundamental para que as viagens realizadas sejam mais seguras e otimizadas. Enfim, para saber mais sobre esse e outros assuntos, basta clicar aqui

Check List do caminhoneiro

Conteúdo Originalmente postado em: Calibrar pneu de caminhão: Leia tudo sobre o assunto.

Frete 2.0: O que é e como funciona?

O avanço do desenvolvimento das tecnologias tem impactado diretamente diversos setores, transformando rotinas de trabalho e ressignificando diversas práticas. Como não seria diferente, o setor de transporte de cargas e mercadorias também foi modificado com a entrada de novas tecnologias, chegando a existir atualmente o chamado frete 2.0. 

Com isso, todos os processos que envolvem a gestão do frete passam a sofrer influência da carga 2.0, passando a ser informatizados e mais eficientes. Dessa forma, a organização que adota essa nova política de gestão, executando corretamente as demandas, ganha uma série de vantagens competitivas em relação a concorrência.

Sendo assim, quer saber um pouco mais sobre o que é e como funciona o frete 2.0? É muito fácil. Siga com a leitura e descubra tudo sobre o tema e como essa prática pode se tornar uma grande aliada do seu negócio.    

O que é frete 2.0?

O que é frete 2.0?

Assim como você já pode imaginar, o e-frete, como também é conhecido esse tipo de transporte, recebe esse nome pois está relacionado a um sistema de entregas digital ou que faz uso de alguma tecnologia inteligente em praticamente todas as suas ações. Desta maneira, os processos são todos digitalizados e ocorrem através da internet por meio de plataformas especializadas.

Com essas aplicações, a organização passa a ter um maior controle sobre o frete que está sendo realizado, tendo informações quase que em tempo real sobre o que está acontecendo. Com isso, se eleva a qualidade do serviço prestado aos clientes e traz uma maior segurança para que as entregas cheguem ao seus destinos corretamente. 

Diferença entre o frete 2.0 e o frete convencional 

Diferença entre o frete 2.0 e o frete convencional

Como mencionado no tópico anterior, a principal mudança e, por consequência, diferença do frete 2.0 para o frete convencional é a forma com que ele é realizado e os meios que são utilizados para fazer os processos. Ou seja, em uma forma mais explícita, o e-frete ocorre via internet e plataformas digitais, enquanto o convencional não.

Além dessa mudança, em relação ao frete comum, o e-frete conta com menos atores envolvidos durante todos os processos. Então, na prática, através dessa nova forma de se realizar transporte de mercadorias, uma organização pode se conectar em um sistema com um motorista autônomo que se disponibiliza realizar o trabalho.

No frete convencional, no entanto, a empresa necessitará de uma equipe interna de transporte de cargas ou realizar a contratação de um empresa terceirizada para fazer a realização do serviço, o que gera um custo maior para o negócio.  

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Tipos de frete

Tipos de frete

Chegou o momento de conhecer mais um pouco sobre os tipos de frete existentes e como o e-frete tem se encaixado e, por ventura, transformado essa relações de transporte: 

  • Normal – O primeiro e um dos mais comuns modelos de frete até os dias atuais, é o frete que se baseia no contato entre contratante e contratado, sem a presença de nenhum terceiro para realizar qualquer parte do transporte. Ou seja, nesses casos, as empresas possuem uma equipe de entrega interna que faz a retirada da mercadoria comprada no remetente, a própria empresa, e entrega diretamente para o seu destinatário final.  
  • Subcontratação – Nesse outro sistema de frete, ocorre a contratação de terceiros para fazer a realização da entrega da mercadoria que foi comprada. Sendo assim, as organizações podem contratar desde transportadoras pequenas ou grandes para fazer o serviço, dependendo da área de abrangência que as entregas podem chegar. Nesse tipo de serviço também se encaixa o e-frete, pois através de uma plataforma específica a empresa também fará a contratação de um motorista para fazer a entrega das suas mercadorias. Então, nesse modelo, independente se através de uma transportadora ou de motorista autônomo, ocorrerá uma subcontratação de um serviço de transporte. 
  • Redespacho – Uma terceira modalidade de frete possível é conhecida como redespacho, pois envolve a participação de duas transportadoras diferentes. Nesses casos, uma das transportadoras contratadas fica responsável por transportar a carga até um determinado ponto combinado previamente e a outra fica responsável em levar a mercadoria até o seu destino destino final, entregando o produto diretamente para o comprador. Comumente, quando existe a contratação de duas empresas para realizar o transporte, uma fica a cargo do cliente que comprou a mercadoria e a outra pela empresa que despachou o produto.  

Vantagens do frete 2.0

Vantagens do frete 2.0

Talvez você se esteja perguntando nesse momento: entendi que o e-frete é mais moderno que o frete convencional, mas como ele pode trazer benefícios para a minha empresa na prática? É isso que vamos te mostrar agora. Veja abaixo 3 benefícios do e-frete:

1. Automatização de processos

Automatização de processos

Através da utilização de sistemas digitais, todo o processo de gestão do frete passa a ser automatizado e digitalizado. Dessa forma, passa a existir uma menor burocratização do regime utilizado e, por consequência, um menor acúmulo de papel impresso, gerando um maior organização.

Além disso, através das plataformas inteligentes utilizadas, é possível coletar todos os dados possíveis referente às entregas. Isso é fundamental no processo de melhoria constante do serviço.

2. Acompanhamento ao vivo dos processos 

Acompanhamento ao vivo dos processos

Um dos principais benefícios do e-frete é a disponibilização de dados e informações sobre o transporte em tempo real. Sendo assim, durante a entrega é possível acompanhar o que está acontecendo e encontrar algum ponto de mudança que facilitará o serviço que está sendo realizado. 

A partir dessa novidade, as empresas têm maior segurança e controle da qualidade do serviço, podendo atuar sempre com assertividade.  

3. Diminuição da perda de tempo

Diminuição da perda de tempo

Com a digitalização de todo o processo, o tempo de trabalho dos funcionários de uma empresa passa a ser melhor gerenciado. Isso porque o trabalhador não precisará mais se dedicar a tarefas meramente burocráticas e massantes.  

Como o processo é todo digitalizado, o tempo, que é um recurso escasso, também passa a ser melhor gerenciado. Isso porque o colaborador que cuida dessa função terá mais tempo para se dedicar à funções menos burocráticas e massantes. 

Conclusão

De uma forma geral, o frete 2.0 consegue agregar desde uma maior velocidade até na segurança em um transporte de carga. No entanto, isso não significa que só esse modelo deve ser usado. É preciso analisar a realidade de cada empresa para definir qual o tipo certo de frete a ser usado. 

Check List do caminhoneiro

Conteúdo Originalmente postado em: Frete 2.0: O que é e como funciona?.

Frete FOB e Frete CIF: Entenda as diferenças

A modalidade de compra online de mercadorias tem crescido a cada ano no Brasil, gerando, por consequência, uma alta demanda de entregas. Com isso, também começaram a surgir diversas possibilidades de realizar esse serviço, como o frete FOB e Frete CIF, por exemplo.

Para saber qual das opções é mais vantajosa no momento é necessário levar em conta muito mais do que apenas o valor do serviço, como também as condições de pagamento, qualidade do serviço, prestígio da empresa contratada, entre outros aspectos. Além disso, também é necessário pensar e definir qual a parte que ficará responsável pelos custos e responsabilidades sobre os riscos do transporte.

Sendo assim, continue acompanhando este artigo até o final e entenda as diferenças entre  frete FOB e Frete CIF, como eles interferem no transporte das cargas, além de outros tópicos que envolvem o frete FOB e Frete CIF e que podem interferir no processo. 

O que é frete FOB?

O que é frete FOB?

A primeira modalidade de frete que vamos apresentar nesse artigo é o chamado Frete FOB. Essa nomenclatura surge da abreviação da sigla inglesa “free on board”, que em uma tradução literal para o portuguê significa “livre a bordo”. Assim, nessa modalidade transporte é o comprador que assume a total responsabilidade pela mercadoria e arca com os custos.

Ou seja, a obrigação do vendedor termina no momento em que os itens são despachados para o seu destino. Dessa forma, essa alternativa se torna mais favorável para os vendedores. Por conta dessa característica, essa modalidade é mais comum em entregas do tipo business to business (B2B), ainda mais quando se trata de cargas de alto valor agregado ou que, por ventura, tenham um valor de frete alto.

Sendo assim, é costumeiro que empresas que compram itens de diversas outras organizações já contêm com a parceria de transportadoras ou caminhoneiros para coletar as mercadorias nos fornecedores. 

O que é Frete CIF? 

Outra modalidade de entrega comumente usada é o Frete CIF. Assim como a origem do nome do Frete FOB, o termo CIF também vem do inglês, significando “cost, insurance and freight” ou “custo, seguro e frete” em português. Com isso, o Frete CIF significa nada mais do que um tipo de contrato de transporte internacional entre um comprador e um vendedor. 

Além desse aspecto, nesse tipo de entrega, diferente do Frete FOB, o responsável pelo produto que está sendo enviado e por arcar com os custos é a empresa fornecedora, ou seja, quem está enviando. Desta maneira, os gastos com o transporte já são pagos na origem da rota de envio, o que atrai mais as pessoas físicas que não precisaram lidar com os detalhes burocráticos do processo. 

Devido a essa maior facilidade para o consumidor, esse modelo de frete é muito utilizado em e-commerces. Isso levando em conta, principalmente, a complexidade que é organizar diferentes frete FOB de uma vez. Nesse caso, com o Frete CIF, o cliente paga tudo de uma vez, tanto pela mercadoria como pelo frete. 

Check List do caminhoneiro

Quando usar cada frete?

Quando usar cada frete?

Como já mencionado anteriormente, as duas modalidades, Frete FOB e Frete CIF, possuem diferenças básicas que fazem o seu uso ser mais adequado para determinada ação do que outras. Assim, quando se trabalha diretamente com o consumidor final que não tem prática com o transporte de mercadorias, o ideal é fazer uso do Frete CIF, mesmo que o valor fique um pouco maior.

Isso porque a empresa garante que o produto chegará íntegro até o seu destino, aumentando as chances de recompra do cliente. Por outro lado, quando o destino é uma outra empresa, se tornam maiores as chances de que ela conheça os mecanismos envolvidos no transporte e já tenha contato com alguma transportadora, levando o Frete FOB a ser a melhor opção.   

Custos de cada frete

Baseado no que foi apresentado até aqui, é chegado o momento de entender um pouco mais sobre a questão dos custos de cada tipo de entrega. No caso do Frete CIF, por exemplo, como o valor da entrega já é considerada no preço total da mercadoria, no que se refere ao ICMS, o fornecedor tem a possibilidade de indicar que o frete é CIF e especificá-lo na nota fiscal ou fazer a cobrança de forma separada, incluindo a informação em um campo próprio para isso na nota fiscal.

Já em relação ao Frete FOB, que é um modelo de entrega contratado pelo comprador à parte, o seu valor não é especificado na NF, justamente por ser de responsabilidade de quem comprou a mercadoria. Independente disso, e do modelo de frete escolhido, ele terá o seu valor somado ao valor da nota fiscal e será considerado para os cálculos de ICMS, IPI, PIS e COFINS.

Segurança e responsabilidades

Segurança e responsabilidades

A responsabilidade sobre a segurança das mercadorias também varia de acordo com o Frete FOB e Frete CIF. Como mencionado, a empresa fornecedora tem responsabilidade sobre a entrega somente quando for solicitado o Frete CIF, sendo dever dela gerir todo o processo de frete. 

Já no caso do frete FOB, os possíveis problemas que possam vir acontecer são assumidos pelo cliente, assim como os custos de transporte. A responsabilidade se inicia no momento em que a carga é embarcada, até o momento da entrega.

Diferenças entre frete FOB e frete CIF

Diferenças entre frete FOB e frete CIF

Para facilitar o seu entendimento de uma vez por todas sobre as diferenças entre o Frete FOB e Frete CIF, veja abaixo uma tabela comparativa entre as modalidades de entrega: 

Frete CIF Frete FOB
Significado Cost, Insurance and Freight (Custo, Seguro e Frete) Free on Board (Livre a Bordo)
O que é  Tipo de contrato de transporte internacional entre um comprador e um vendedor. Tipo de contrato de transporte.
Responsável pelo custos Empresa Fornecedora. Clientes.
Responsável pelo produto Empresa Fornecedora. Clientes.
Considerado como mercadoria entregue Quando estão em posse do comprador final. Quando são colocados para a entrega.

Conclusão

Em suma, para escolher o melhor tipo de frete para ser usado, seja Frete FOB e Frete CIF, é preciso levar em conta diversos aspectos. Assim, será possível encontrar o melhor formato de entrega para conseguir receber as mercadorias. 
Gostou do artigo ? Então não deixe de ler os outros do nosso blog.

Ebook de 10 dicas para vender seu caminnhão

Conteúdo Originalmente postado em: Frete FOB e Frete CIF: Entenda as diferenças.

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora