Lei do frete mínimo: como entender e fazer o cálculo?

Após a greve dos caminhoneiros que marcou o ano de 2018, muitos trabalhadores reivindicaram melhorias para a categoria, buscando um valor mais justo para o frete, e foi assim que o governo Temer sancionou a lei de número 13.703/18, conhecida como a lei de frete mínimo.

A ANTT (Agência Nacional de Transporte Terrestre) passou a desenvolver atividades para gerenciar a definição de preços e monitorar as condições a respeito do assunto. O objetivo principal desta lei é estabelecer padrões nos preços dos pisos mínimos com relação ao quilômetro rodado nos fretes por eixo carregado.

Você ainda tem dúvidas sobre a aplicação desta lei? Ou sobre todo o cálculo que pode parecer complexo em comparação a tabela utilizada anteriormente? Calma que nós vamos te ajudar!

Quem deve utilizar a lei do frete mínimo?

Para muitas pessoas, a lei do frete mínimo tira o trabalho do autônomo, mas para algumas pessoas isso ainda fica confuso. O principal ponto é que a lei não estabelece diferença entre autônomos e agregados, assim, ambos precisam receber pelo menos o que está estabelecido no valor mínimo da tabela.

Se o caminhoneiro quiser negociar, precisa receber pelo menos o valor que está estabelecido em lei. Outro ponto de destaque da lei é que não há diferença para quem tem a carreta e o cavalo ou para quem tem só o cavalo, não havendo diferença entre ambos.

Mas afinal, o que a lei determina?

Mas afinal, o que a lei determina?

A partir da tabela, ficou decidido que os pisos mínimos de frete deverão ser feitos de acordo com os custos operacionais do transporte, refletindo os valores atuais do óleo diesel e sobre os pedágios.

Dessa forma, o transporte passou a ser cobrado por quilômetro rodado, de forma igual ou superior aos valores fixados pelo órgão. Depois de vigorada a lei, novas regras foram atualizadas em 2019.

Agora, a metodologia para calcular o valor do quilômetro rodado para cada eixo do caminhão foi alterada. A regra leva em conta onze categorias de carga, os custos com a desvalorização do veículo, a remuneração do caminhoneiro, impostos e as operações de carga e descarga.

Além disso, é proibido contratar ou oferecer transporte abaixo do frete mínimo. Caminhoneiros e empresas que prestam serviços de cargas estão sujeitas a uma multa de R$ 4.975,00, já para os clientes o valor é de duas vezes a diferença entre o valor pago e o piso do frete.

Infográfico: o que todo caminhoneiro precisa ter dentro do seu caminhão

Calculadora é indicada para calcular o valor do frete mínimo

A lei do frete mínimo melhorou as condições do caminhoneiro?

A partir da lei do frete mínimo, cada custo passou a ser levado em conta, tanto os custos fixos como aqueles que acontecem por fora, os chamados custos variáveis. Por isso, é fundamental fazer um cálculo para definir cada custo.

Muitas dúvidas podem surgir depois que a nova lei foi estabelecida. Agora você identifica primeiramente em qual das 11 categorias de carga a sua se encaixa, se houver dúvida sobre a categoria, vale o valor mais alto, seja ela uma carga geral, a carga frigorificada, carga perigosa, entre outras que foram definidas.

O passo a passo para o cálculo é complexo, antes só era necessário calcular os eixos do caminhão e o quilômetro rodado! Mas agora, primeiramente, você vai precisar identificar o tipo de carga, depois é só selecionar a distância da operação de transporte, e é importante lembrar que, caso não exista uma carga de retorno, você precisa multiplicar a distância de ida por dois e procurar a linha onde essa distância está.

Em seguida, você precisa ter em mãos o valor do custo por km/eixo e multiplicar a quantidade de eixos da combinação de veículos e implementos utilizados na operação. Agora é só multiplicar o valor encontrado primeiro pela quantidade eixo/km, fazendo isso você tem em mãos o resultado do valor mínimo para a viagem.

Com a nova regra é fato que ficou ainda mais complexo todo o cálculo levando em consideração cada item que a lei específica. Mas, para te ajudar neste processo todo, se você quer simplificar o cálculo da lei de frete mínimo, nós indicamos a utilização de uma calculadora online. Assim você acha a categoria da sua carga, coloca a distância da operação de transporte e todos os itens fundamentais para ter o valor exato.

Acesse o site: https://www.tabelasdefrete.com.br/p/calculo-carreteiro ou procure uma calculadora de sua preferência.

A lei do frete mínimo melhorou as condições do caminhoneiro?

A lei do frete mínimo melhorou as condições do caminhoneiro?

Apesar de ser um pedido de muitos caminhoneiros, ainda há controvérsias sobre a questão. A tabela deixa claro que o lucro do caminhoneiro não está incluso, sendo assim, a tabela serve somente para levantar os valores relacionados ao custo, assim como também os pedágios não são relacionados ao frete, pois existe a lei do pedágio que estabelece estes custos.

Não estão inclusos também os valores relacionados a movimentações logísticas complementares ao transporte rodoviária de carga com o uso de containers e frotas dedicadas ou fidelizadas, assim como as despesas de administração, alimentação, tributos, taxas e outros itens que não foram previstos.

Já o que está sendo levado em consideração são os seguintes custos considerados fixos pela lei de frete mínimo: custo de depreciação do veículo, de depreciação do implemento, de remuneração do capital do veículo, da mão de obra do veículo e de seguro contra acidente e roubo. E ainda os custos variáveis: aqueles com combustível, arla, com pneus e recauchutagem, manutenção, lubrificantes para o motor, com lavagens e graxas e demais.

Pode parecer bem complexa a aplicação da lei de frete mínimo, mas leve em consideração a utilização da calculadora online e fique de olho nas novas atualizações da lei, já que a tabela deixa brechas para possíveis modificações. Agora é só cobrar mais fiscalização por parte das autoridades responsáveis para que a tabela seja de fato cumprida em qualquer situação, sendo utilizada por todos.

Em caso de qualquer irregularidade constatada, fica à disposição da ANTT aplicar as penalidades cabíveis. Lembrando que o objetivo da lei é de promover melhores condições para a realização de fretes em todo o território nacional. Por isso, é necessário incluir vários itens na conta total para não ter dores de cabeça depois.

Gostou do nosso conteúdo? Então não perca os outros conteúdos de frete no nosso blog.

Check List do caminhoneiro

Conteúdo Originalmente postado em: Lei do frete mínimo: como entender e fazer o cálculo?.

Publicado por Ana Maria Rodrigues

Olá eu sou a Ana, e adoro compartilhar minha vida com minha família. Sou Casada com Luis Rodrigues e tenho 3 lindos filhos, Luiz Filho, Maria Gabriela e Luiza. Atualmente eu e meu marido trabalhamos na nossa revendedora de caminhões, Caminhões Rodrigues , na qual revendemos caminhões usados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: